Meu humor



Meu perfil
BRASIL, AMAPA, MACAPA, UNIVERSIDADE, Homem, Portuguese, Esportes, Música, Leituras



Arquivos
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 05/11/2006 a 11/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 09/07/2006 a 15/07/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 http://gatinhavip.zip.net
 http://castro.castro.zip.net
 http:// jeitotucuju.zip.net
 http://ernanimotta.zip.net
 Kiara Guedes




Blog de sergioguedes.ap
 


SHOW DE NATHAL VILLAR

 

No próximo dia 21 de dezembro o cantor Nathal Villar estará realizando um show no Teatro das Bacabeiras. É uma ótima opção para quem gosta de boa música. Eu com certeza estarei por lá. Nathal é um cara batalhador que já está na estrada há um bom tempo; além de ser um grande artista, ele também é uma ótima pessoa. Seu único CD “seguindo o sol” é de ótima qualidade. Eu recomendo a todas as pessoas que têm bom gosto que prestigiem o show do dia 21. Além de Nathal Villar haverá também as participações especiais de Patrícia Bastos e Enrico de Miceli, outros dois grandes nomes da nossa música. Os ingressos estarão à venda na próxima semana. Conclamo todos os blogueiros a fazerem a divulgação deste evento!  Volto para anunciar os postos de venda.      



Escrito por sergioguedes.ap às 22h56
[] [envie esta mensagem
]





A MÚSICA

 

Todos os instantes de minha vida

Têm uma trilha sonora.

A música move meu mundo,

Dos estampidos do ocaso

Aos sussurros da aurora.

 

Lágrimas, suspiros e sorrisos

Em cada melodia renitente.

A música cortando meus olhos,

Singrando meu sangue,

Pousando-me em marfins transcendentes.

 

Na névoa, um néctar.

Nos raios solares, um turbilhão.

A música multicolore as galáxias,

Reincendeia graves fogueiras,

Entoada pelos agudos da paixão.

 

                       Sérgio Guedes  



Escrito por sergioguedes.ap às 22h50
[] [envie esta mensagem
]





FALTA D’ÁGUA

 

Está se tornando um verdadeiro caos em Macapá a questão da falta d’água. O que antes era apontado unicamente como intriga da oposição começa a mostrar-se como uma situação verdadeiramente de descaso das autoridades. No momento, o que menos importa para as famílias que estão passando por enormes constrangimentos é de quem é a culpa: se deste governo ou de governos anteriores. O fato é que os órgãos competentes devem agir urgentemente a fim de, pelo menos, amenizar a agonia da população.

É constrangedor você ver cidadãos que pagam seus impostos passarem com baldes ou latas atrás de um água; ou pior, arranjando mil maneiras para fazer suas necessidades fisiológicas.

Confesso que só tomei pé da situação quando visitei a casa de alguns amigos e a casa do meu sogro, pois na minha casa nós utilizamos água de poço. Eu já ouvira falar que alguns bairros estavam sofrendo com a falta d’água, porém só quando eu presenciei de perto a situação de algumas pessoas é que eu pude compreender a extensão d problema.

É necessário que as pessoas comprometidas com a dignidade do ser humano coloquem a boca no trombone, não dá para ficar calado diante de uma situação destas, independente de quaisquer concepções políticas.

 

FECAM

 

No sábado foi realizada a final do Fecam. A meu ver, não houve nenhuma canção que se destacasse tanto, a ponto de ser apontada como franca favorita. No geral, o nível foi apenas regular. Das três canções premiadas, a que mais tinha jeito de festival era a canção defendida por Nivito, porém os jurados não compreenderam desta forma, e deram o prêmio a uma canção paraense. Tudo bem, é uma questão de ponto de vista.

Em Macapá existem muitos letristas e compositores de alto nível. Seria bom que nos próximos festivais aparecessem novas caras, não que as portas tenham que ser fechadas aos já consagrados, mas renovação sempre é uma boa coisa; e, afinal, uma das finalidades dos festivais é essa mesma.      



Escrito por sergioguedes.ap às 20h28
[] [envie esta mensagem
]





UM DIA FELIZ

 

Hoje é um dia de boas lembranças para mim, pois foi no dia 03 de dezembro de 1993 que eu colei grau em Letras pela UFPA. A solenidade foi realizada na Academia Paraense de Letras. É uma data que me traz muita alegria e muita saudade também. Gostaria de saber por onde andam cada um daqueles colegas de curso que sonharam, batalharam e concretizaram um objetivo juntos. Era gente de todo lugar: Macapá, Santarém, Monte Alegre, Cametá, Abaeté, Belém, Rio... Como a gente se divertia, e estudava também, é claro! Quero mandar um abraço a todos: Ana Vilacy, Andréa, Ângela, Antônia, Arodinaldo, Carmem, Celeste, Clara, Clodonilda, Cynthia, Eliã, Eliene, Fernando, Gicele, Jânio, Lígia, Marco André, Conceição, Dalva, Nazaré, Maria do Carmo, Marlene, Norma, Roberta, Rosa, Rosa Leopoldina, Sandra de Prá, Valdir, Valéria e Vera! Um dia a gente se encontra de novo para trocar idéias sobre música, literatura, cinema, teatro, futebol etc. Eu sempre digo que 95% do meu coração é amapaense, mas 5% é paraense, pois ali eu vivi uma parte de minha vida muito boa, de muita intensidade cultural, de muita amizade, de muito aprendizado. Sempre que posso, eu dou uma volta por lá para matar a saudade, mas volto logo para o meu ninho: Macapá. Aliás, "Macapá" era como a maioria dos colegas me chamava, porque, sempre que havia uma oportunidade, eu tecia comentários sobre a nossa cidade.   

       



Escrito por sergioguedes.ap às 13h07
[] [envie esta mensagem
]





VIOLETA PARRA

Violeta del Carmen Parra Sandoval (San Carlos, 14 de outubro de 1917Santiago do Chile, 5 de fevereiro de 1967) foi uma compositora, cantora, artista plástica e ceramista chilena, considerada a mais importante folclorista daquele país e fundadora da música popular chilena.Suas canções mais famosas no Brasil talvez sejam Gracias a la vida (imortalizada na voz de Elis Regina) e Volver a los 17 (gravada por Milton Nascimento e Mercedes Sosa).

Folclorista, tapeceira, pintora e ceramista, nasceu em 4 de outubro de 1917 em San Carlos, província de Ñuble. Realizou seus estudos escolares até o segundo ano do secundário, abandonando-os em 1934, para trabalhar e cantar com seus irmãos em bares e circos, desenvolvendo uma importante carreira musical, que se originou de maneira autodidata, a partir dos 9 anos. Em 1938, se casou pela primeira vez e dessa união, teve dois filhos. Viveu em Valparaíso entre 1943 e 1945, e voltou a Santiago, para cantar junto com seus filhos Isabel e Ángel. Em 1949 voltou a se casar e teve duas filhas dessa nova união. Em 1952 começou a pesquisar as raízes folclóricas chilenas e compôs os primeiros temas musicais que a fariam famosa. Em 1954, quando já tinha o seu próprio programa de rádio, começou um rigoroso estudo das manifestações artísticas populares. Durante 1955 visitou a União Soviética, Londres e Paris, cidade onde residiu dois anos. Realizou gravações para a BBC e os selos Odeón e "Chant du Monde". Em 1957 se radicou em Concepción, voltando a Santiago no ano seguinte para começar sua produção plástica. Percorreu todo o país, recopilando e difundindo informações sobre o folclore. Em 1961 mudou-se para a Argentina, onde fez grande sucesso com suas apresentações. Voltou a Paris e ali permaneceu por três anos percorrendo varias cidades da Europa, destacando-se suas visitas a Genebra. Em 1965 voltou ao Chile, viajou para a Bolívia e ao seu regresso ao país, continuou suas apresentações na tenda instalada na comunidade de La Reina; nesse lugar, a 5 de fevereiro 1967, suicidou-se.



Escrito por sergioguedes.ap às 12h12
[] [envie esta mensagem
]





OBRIGADA À VIDA (GRACIAS A LA VIDA)

Violeta Parra

Obrigada à vida
que me deu tanto
Deu-me dois olhos
que quando os abro
perfeito distingo
o preto do branco
no alto céu seu fundo estrelado
e nas multidões o homem que eu amo.

Obrigada à vida
que me deu tanto
Deu-me o ouvido
que em toda sua extensão
grava noite e dia
grilos e canários
martelos, turbinas, latidos, chuvaradas
e a voz tão terna do meu bem amado

Obrigada à vida
que me deu tanto Deu-me o som
e o abecedário
com ele as palavras
que penso e declaro
"mãe, amigo, irmão"
e a luz, iluminando
o rumo da alma do que estou amando

Obrigada à vida
que me deu tanto
Deu-me a marcha
dos meus pés cansados
com eles andei
cidades e charcos
praias e desertos, montanhas e planos
tua casa, tua rua e teu pátio.

Obrigada à vida
que me deu tanto
Deu-me o coração
que agita seu marco
quando olho o fruto
do cérebro humano
quando olho o bom tão longe do mal
quando olho o fundo de teus olhos claros

Obrigada à vida
que me deu tanto
Deu-me a risada
e deu-me o pranto
assim distingo
felicidade de fraqueza
os dois materiais que formam meu canto
o canto de todos que é mesmo canto
o canto de todos que é meu próprio canto Obrigada à vida!

 

Tradução: Maria Teresa Almeida Pina

 



Escrito por sergioguedes.ap às 12h08
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]